A Respiração de Alta Performance

fevereiro 21, 2017 em Boa Forma, Técnicas Corporais

respiração

É possível perceber através da respiração que você está com ou sem energia, com ou sem ansiedade. 

É capaz de parar agora por 16 segundos e observar o estado da tua respiração?

….5….

…10…

…15…

Como é que ela está?

Eu já sabendo o que seria melhor para ti, gostaria que estivesse com uma respiração silenciosa e longa. Há várias razões para essa conclusão. Mais à frente no artigo explico-te isso. 

Agora, ela está curta? Isso só ocorre quando a respiração está muito focada na parte de cima do corpo, o que a torna naturalmente mais rápida e curta. É provável que até sinta falta de ar de vez em quando… um sinal clássico de que não está a respirar como deveria.

Já alguma vez percebeste da real importância da tua respiração?

A importância

Existem 3 propósitos essenciais da respiração. 

1 – levar mais oxigênio ao sangue (nutrindo as células);

2 – controlar a nossa energia vital;

3 – dominar a mente e as emoções. 

Para compreenderes esta ligação entre a respiração e o pensamento/emoção, basta observares que a tua respiração, quando está ansioso ou irritado, é rápida e superficial. Pelo contrário, nos períodos de repouso e bem-estar a respiração tende a ser mais suave. Certo?

Assim, como o estado mental afeta a respiração, esta inevitavelmente afeta também a mente. Por essa razão, desde tempos imemoriais, que a respiração é utilizada como ponte para os estados meditativos de controle das ondas mentais.

Não gostarias de estar mais atento a cada uma dessas 3 essências e com isso expandir as tuas capacidades orgânicas tanto para o corpo, quanto para as emoções e pensamentos?

Aumentar a consciência 

Para dares os primeiros passos basta treinares os respiratórios que te vou indicar.

Treino A: respiração baixa (abdominal – 60% da capacidade pulmonar)

– Fica sentado ou deitado para que as costas estejam eretas;

– Leva uma das mãos ao abdômen;

– Inspira pelas narinas e projeta o abdômen para fora dilatando-o ao máximo;

– Expira pelas narinas recolhendo o abdômen para dentro;

– Faz de 5 à 10 ciclos.

Treino B: respiração média (30% da capacidade pulmonar)

– Semelhante ao anterior, só que agora leva as mãos ao lado das costelas;

– Mantém o abdômen levemente contraído;

– Inspira pelas narinas e expande as costelas lateralmente para distanciar as mãos uma da outra;

– Expira pelas narinas reaproximando as mãos;

– Atenção: deves movimentar o mínimo possível o abdômen e de preferência diante de um espelho para perceberes se estás a isolar o movimento. 

Treino C: respiração alta (10% da capacidade pulmonar)

– Semelhante aos exercícios anteriores, agora com uma das mãos no tórax;

– Inspira pelas narinas e projeta o tórax para frente e para o alto;

– Expira pelas narinas e esvazia o tórax;

– atenção: deves utilizar apenas o tórax. Mantém o abdômen e as costelas levemente contraídos.

Faz este treino com a duração de 5 minutos na primeira semana e aumenta progressivamente outros 5 minutos até chegar à 4ª semana e com isso um treino completo de 20 minutos. As transformações serão realmente poderosas.

Deixo-te agora uma pergunta final: Você quer realmente usar todo o teu potencial e passar para próximo nível?

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS