Palavra é mantra

maio 5, 2016 em Comportamento e ética

Associação das palavrasCada palavra ou frase tem um significado intrínseco e outro extrínseco a ela própria. O primeiro é o sentido que normalmente convencionou-se a dar a ela e que em linhas gerais todos percebem como igual.

A palavra “piano” é apenas um instrumento musical de cordas estimuladas por teclas brancas e pretas e pedais. A frase “ele é um querido amigo”: refere-se a uma pessoa que que detém apreço ou carinho por outra.

O sentindo extrínseco é um sentido que não pertence originalmente à palavra mas é atribuído por alguém ou grupo de acordo com suas experiências associadas a palavra.

Se alguém teve péssimas experiências em seus estudos com piano, pode vir a atribuir inconscientemente um sentimento ruim associado à esta palavra diferente de um pianista bem sucedido que sempre usará esta palavra com muito apreço.

Em nosso cérebro, criamos “caminhos” associativos que ligam palavras e frases a determinado conjunto de lembranças e sentimentos que reproduzem um valor extrínseco a elas. Isto é criado ou por uma experiencia marcante ou pela repetição de determinado conjunto de fatores aproximadamente iguais.

Ao assumir um compromisso com alguém, usa-se normalmente um conjunto de palavras para firmar tal acordo que ao fim trará um resultado final. Se o resultado é sempre a conclusão do acordo, o valor tonar-se positivo e verdadeiro. Se o resultado é com frequência a falha do combinado, o valor criado será negativo e falso.

Ao reproduzir tal situação diversas vezes entregando sempre o mesmo resultado associa-se um valor àquele conjunto de palavras e comportamento. Perante a pessoa que fala e também a pessoa que ouve gera-se um valor extrínseco a esta situação: a de confiança ou não-confiança.

Fazer uso de um adjetivo de maneira aleatória para qualificar uma determinada situação, poderá criar um novo valor a esta palavra em detrimento de seu significado intrínseco que poderá até mesmo perder seu valor. Ao usar a palavra “querido” para se referir a qualquer pessoa seja amigo, colega, desconhecido, cliente, superior hierárquico, e até mesmo de forma irônica a um desafeto, o valor gerado internamente por associação a um conjunto de situações e sentimentos envolvidos será no mínimo uma bagunça e o final, não terá valor algum e quando for necessário usar em seu sentido intrínseco, a palavra não sairá com seu devido peso de veracidade.

Tais exemplos não são bons nem ruins. Apenas elucidam situações corriqueiras que podem ser mantidas, modificadas e melhor organizadas de acordo com quem as usa para trabalharem a seu favor. Assim como se cria tais condicionamentos sem percebermos, podemos modificar o valor dado a cada palavra ou frase pela repetição de seu uso associado a algo que queremos. Depois de um tempo repetindo, a nova associação estará criada.

Tecnicamente falando, sendo mantra uma técnica de repetição sistemática de uma palavra ou frase por um determinado espaço de tempo para buscar um determinado efeito como concentração por exemplo, o resultado depois de alguns meses ou anos será muito forte, quase imediato! Da mesma forma ao usar uma determinada palavra ou frase para designar um efeito ou resultado, depois de alguns meses ou anos de uso, ela terá um valor enorme, um peso muito grande perante você e as demais pessoas com as coisas tais relações forem criadas.

Pense nisso e use a seu favor!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS